11:26
Bahia Coronavírus

Presenciaremos cenas dramáticas nas próximas semanas, diz Rui sobre colapso na saúde

Governador afirma que esgotamento de leitos na Bahia será uma

04/03/2021 10h33 Atualizada há 2 meses
421
Por: Redação Enews Fonte: Bahia.ba
Imagens reprodução
Imagens reprodução

O governador Rui Costa (PT) afirmou que a Bahia poderá assistir nas próximas semanas “cenas dramáticas” em razão do iminente colapso no sistema de saúde. Para o governador, trata-se apenas de uma “questão de tempo”, a julgar que o país atravessa agora o pior momento da pandemia de Covid-19, com um balanço de quase 260 mil vidas perdidas e sucessivos recordes de mortes diárias. O estado, por sua vez, soma 112 óbitos provocados pela doença e registra 694.783 casos confirmados. Em todo o território baiano, os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) atingiram 85% de ocupação.

“Infelizmente, eu acho que essas cenas nós vamos presenciar em vários lugares no Brasil. Eu diria que hoje a situação está para eclodir, para explodir. Em vários estados as UPAs [Unidades de Pronto Atendimento] estão lotadas, estão com gente já no corredor. Os hospitais não têm vagas. Então é a antessala da recusa do paciente na porta. Você começa a botar pra dentro, já não tem mais os ambientes normais pra acolher as pessoas, que são as salas específicas, como nas UPAs”, declarou o governador na noite desta quarta-feira (3), em entrevista ao programa Ponto a Ponto, da BandNews TV.

“Nós estamos a um passo disso, vários estados brasileiros. É questão de tempo, de semanas. O efeito é cascata e vai alcançar todos os estados. A situação vai se espalhando. É difícil não presenciar essas cenas dramáticas. Exceto se a gente conseguisse vacinar em uma semanas, 15 dias, um grupo substantivo de idosos, que são as pessoas que, ao fim e ao cabo, vão parar nas UTIs.”, acrescentou o governador.

O Brasil enfrenta atualmente uma fase crítica da crise sanitária. Na quarta-feira (3), o país registrou oficialmente 1.910 mortes por Covid-19 em 24 horas, a pior marca desde o início da pandemia.

“Bolsonaro é o grande aliado do vírus”

Na entrevista, Rui Costa afirmou que o Brasil só chegou ao quadro atual porque o coronavírus tem no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) o seu “grande aliado”.  Na avaliação do governador, além de minimizar o risco do vírus — ao qual já se referiu como “uma gripezinha” —, o chefe do Executivo nacional atuou para agravar a situação.

“Nós teríamos poupado muito mais vidas. Não foi só falta de coordenação. Eu diria que nós tivemos as autoridades federais, o presidente da República, como o grande aliado do vírus. O vírus tem um grande aliado no Brasil, que é o presidente da República. Isso não é retórica, basta olhar os fatos”, criticou.

Segundo o governador, Bolsonaro não só atacou o uso de máscaras, promoveu aglomerações como também atrasou deliberadamente a aprovação do uso de vacinas.

“O Brasil não precisaria estar passando por esse colapso nesse momento. Se era inevitável a contaminação do ano passado, esse repique, essa nova onda, era absolutamente previsível e era dispensável. Bastava [o Brasil] ter aceitado as negociações e, como os outros países fizeram, antecipar a vacinação assim que as vacinas começaram a ser feitas no mundo”, disse.

“Nós estamos em março e engatinhando com o percentual de vacinação”, reiterou o governador.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.