Cultura Sem renda

Associação de músicos esplanadenses envia pedido de auxílio emergencial ao prefeito

Representados pela AME - Asssociação dos músicos de Esplanada, cerca de 47 músicos são cadastrados e poderão ser beneficiados

21/05/2020 20h07 Atualizada há 4 meses
1.056
Por: Redação Enews Fonte: Redação Esplanada News
Imagem ilustração
Imagem ilustração

Com o fechamento de casas noturnas, pubs e bares e a proibição à realização de eventos, medidas adotadas pelas prefeituras  para conter o avanço do coronavírus, músicos, produtores e outros profissionais do meio cultural ficaram sem boa parte da sua fonte de renda. Profissionais autônomos na sua grande maioria, a saída tem sido buscar alternativas para realizar as atividades - shows, eventos, aulas, lives com cachê solidário - mesmo sem poder sair de casa. A pandemia da Covid-19 e as medidas de isolamento adotadas no município para conter o espalhamento do vírus atingiram em cheio os profissionais que trabalham com eventos na nossa região. Todas as festas tradicionais foram canceladas, e não há data para voltar à normalidade. 

Diante desse quadro difícil, músicos esplanadenses encaminharam para o gabinete do novo secretário de administração Osmar Duarte (Dudu), um ofício relatando os problemas enfrentados pela categoria nesse período de pandemia. Representados pela AME - Asssociação dos músicos de Esplanada, cerca de 47 músicos são cadastrados e poderão ser beneficiados. Alguns músicos estão sem trabalhar há quase três meses. 

Segundo membros da AME, o documento já está nas mãos do secretário que, por sua vez, prometeu encaminhar para o prefeito avaliar a possibilidade de criar um plano de ajuda emergencial aos profissionais.

A proposta epresentada pelos músicos solicita uma ajuda financeira no valor de R$ 300,00 até o fim dos decretos que os impossibilitam de trabalhar. O auxílio abrangeria todos os profissionais esplanadenses que dependem exclusivamente do meio musical, tais como instrumentistas, técnicos de som, contrarregra, produtores, auxiliares de palco, cantores, dançarinos, produtores de eventos, professores e etc.

Se o pedido for acatado e colocado em execução, Esplanada seria a segunda cidade no Brasil a aprovar uma medida que auxilia a categoria. Em Salvador, músicos chegaram a um acordo com a prefeitura, onde será apresentada uma lista de músicos que trabalham como autônomos ou informais para ter direito ao beneficio que a prefeitura disponibilizou para os trabalhadores informais da capital.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.