23:10
Bahia Secretário de Saúde

Fábio Vilas Boas causa polêmica ao citar fechamento de fábricas de cerveja

Após repercussão, secretário disse que declaração foi 'exercício de retórica'

24/05/2021 15h02 Atualizada há 3 semanas
384
Por: Redação Enews Fonte: Correio24horas
(Foto: Repercussão / TV Bahia)
(Foto: Repercussão / TV Bahia)

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, falou sobre a possibilidade de proibir a venda de bebidas alcóolicas na Bahia e citou até a possibilidade de fechar as fábricas do setor no estado. A declaração foi dada durante entrevista ao Jornal da Manhã, da TV Bahia.

"Vai chegar o momento de que nós teremos que proibir a comercialização de bebidas, chegará o dia que nós teremos que fechar fábricas de cerveja na Bahia", disse o secretário.

"Nesse final de semana, vocês devem ter visto, as fábricas de cerveja anunciaram que atingiram o pico histórico de vendas no Brasil, nesse final de semana, em plena pandemia, então é o motor por trás disso aí, ninguém faz um ‘reggae’ desse aí sem está movido a cerveja, que é a bebida mais bebida da Bahia", completou o chefe da pasta.

A declaração causou polêmica nas redes sociais, com diversas críticas à postura do secretário. 

Após a repercussão, Vilas-Boas publicou em seu Twitter uma retratação, negando a possibilidade de fechar as fábricas na Bahia. De acordo com ele, a declaração foi um "mero exercicio de retórica".

"Em momento algum eu sugeri fechamento de fábricas de cerveja. Meu comentário foi um mero exercício de retórica, em cima de 2020 ter sido o ano que mais vendeu cerveja e o papel do álcool nas aglomerações", esclareceu.

O governador Rui Costa (PT) também afirmou que não há a possibilidade de fechar as fábricas de cerveja no estado.

"Não há hipótese de fechar fábrica de cerveja, até porque não existe só essa bebida alcoólica. O que o Estado quer não é proibir as pessoas de, em casa, relaxar e tomar sua cervejinha. O que a gente tá pedindo é que não aglomerem, não lotem bares, postos de gasolina, etc," disse ele em entrevista coletiva.

Mais cedo, Fábio já tinha compartilhado uma matéria falando sobre o aumento do consumo de álcool durante a pandemia. De acordo com a reportagem do G1, o consumo de cerveja em 2020 foi o maior desde 2014, ano em que as bebedeiras foram infladas por conta da Copa do Mundo no Brasil.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.