03:23
Bahia Energia clandestina

Rede clandestina de eletricidade é achada em casa de vereador de Paulo Afonso, no norte da Bahia

De acordo com a Coelba, a irregularidade ocorria há mais de seis meses e a dívida da unidade passava dos R$ 17 mil.

17/06/2021 20h53
299
Por: Redação Enews Fonte: G1-BA
Foto: Divulgação/Coelba
Foto: Divulgação/Coelba

A casa de um vereador de Paulo Afonso, no norte da Bahia, estava funcionando com rede de energia clandestina. A informação foi divulgada pela Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) nesta quinta-feira (17). De acordo com a Coelba, a irregularidade ocorria há mais de seis meses e a dívida da unidade passava dos R$ 17 mil.

Segundo a Coelba, o furto na unidade do vereador abastecia também outras duas unidades que pertencem a familiares. A rede clandestina representou um desvio de 100 mil kWh que, segundo a Coelba, é energia suficiente para abastecer o município de Macururé, cidade do norte baiano com aproximadamente 10 mil habitantes, durante uma semana.

O vereador, que não teve o nome divulgado, não chegou a ser preso, pois fez a negociação da dívida durante a ação da Coelba, realizada na quarta-feira (16), no bairro Jardim Aeroporto.

A operação em Paulo Afonso foi realizada após mapeamento da concessionária de energia, que através da análise em softwares, associados a sensores inteligentes que controlam o fluxo de energia elétrica, identificou a rede clandestina em investigação de campo.

A irregularidade encontrada representava, ainda, um risco a segurança para a população local, uma vez que a ligação foi feita fora dos padrões técnicos.

A Coelba ressaltou que o furto de energia é crime e conta com pena de até oito anos de reclusão. As denúncias são feitas de forma anônima através do telefone 116 ou pelo site da concessionária, na parte de "serviços", na aba "denúncia de irregularidade".

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.