03:54
Bahia Delegado Clayton

Polícia do Mato Grosso prende acusado por homicídio de delegado baiano

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), as investigações apontaram que o criminoso estava no município de Várzea Grande

17/07/2021 23h43
463
Por: Redação Enews Fonte: Bahia Notícias
IMAGEM: REPRODUÇÃO
IMAGEM: REPRODUÇÃO

Foi preso, na sexta-feira (16), um homem acusado de envolvimento no homicídio do delegado Clayton Leão, da 18ª Delegacia Territorial (DT/Camaçari), em 2010. A ação foi coordenada pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado do Mato Grosso (Ficco/MT), e contou com o apoio do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), da Polícia Civil da Bahia, e da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, daquele estado.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), as investigações apontaram que o criminoso estava no município de Várzea Grande, cerca de 300 km distante da fronteira da Bolívia. Diante de iminência de fuga para aquele país, uma equipe da Polícia Civil do Mato Grosso localizou o homem, cumprindo o mandado de prisão. Ele foi conduzido para a Superintendência da Polícia Federal, e em seguida levado ao sistema prisional daquele estado – de onde deve ser transferido para a Bahia, conforme explicou o titular da Coordenação de Polícia Interestadual (Polinter), delegado Arthur Gallas. 

"Estamos na tratativa para viabilizar a transferência dele. Ele já foi encaminhado para o sistema carcerário do Mato Grosso, e agora nós já estamos tomando todas as providências para obter a autorização judicial para recambiá-lo para a Bahia", declarou Gallas.

Clayton Leão, de 35 anos, foi morto em uma emboscada de criminosos enquanto concedia entrevista para uma rádio de Camaçari, onze anos atrás. Seu assassinato causou comoção em todas as forças policiais e na população, visto que a ação criminosa acabou sendo transmitida ao vivo. Na ocasião, ele – que foi chefe da Coordenação de Operações Especiais (COE) – chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.