Polícia BAHIA

Policias militares são presos acusados de participar de execuções em Salvador

Um terceiro homem, acusado de integrar o grupo de execuções do qual os PMs fazem parte, foi localizado no dia anterior no bairro do Caji, em Lauro de Freitas

17/07/2020 19h55
372
Por: Thiago Machado Fonte: BNews
IMAGEM: REPRODUÇÃO
IMAGEM: REPRODUÇÃO

Dois soldados da Polícia Militar foram presos nesta sexta-feira (17) pela força-tarefa de combate a grupos de extermínio e extorsão da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). Acusados de homicídios, eles estavam com mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça e foram detidos quando se apresentaram na unidade onde são lotados, a Companhia Independente de Policiamento Tático /Baía de Todos os Santos, no bairro do Bonfim, em Salvador.

Um terceiro homem, acusado de integrar o grupo de execuções do qual os PMs fazem parte, foi localizado no dia anterior no bairro do Caji, em Lauro de Freitas. Além das prisões, a “Operação Renascimento” cumpriu cinco mandados de busca e apreensão nas casas dos investigados e na sede da Companhia. Foram apreendidas três pistolas, dinheiro, um aparelho celular e relógios. 

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara do Tribunal do Júri de Salvador e têm validade de 30 dias. Eles se referem à morte de uma mulher e a tentativa de homicídio contra um homem que tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Os crimes aconteceram em 1º de maio deste ano. 

De acordo com a polícia, as vítimas foram levadas para um matagal na BA-528, no bairro de Valéria, e baleadas diversas vezes. A mulher não resistiu e o homem conseguiu ir até o Hospital do Subúrbio pedir socorro, mesmo estando algemado e ferido.

Além desse caso, o grupo estava na mira da polícia há cerca de seis meses por também ter participado de crimes em São Caetano, Pirajá, Marechal Rondon, Fazenda Grande, dentre outros bairros. 
 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.