02:55
Dólar comercial R$ 5,37 -1.21%
Euro R$ 6,44 -1.33%
Peso Argentino R$ 0,06 -1.27%
Bitcoin R$ 326.315,18 +0.787%
Bovespa 119.564,44 pontos +1.57%
Economia Auxílio Emergencial

Auxílio Emergencial: Bolsonaro veta projeto que previa prioridade a mulher chefe de família

A lei do auxílio emergencial prevê que o benefício de R$ 600 deve ser pago em dobro isto é, R$ 1,2 mil a mães que criam sozinhas os filhos

29/07/2020 19h17 Atualizada há 9 meses
896
Por: Redação Enews Fonte: Varela Notícias
IMAGEM: REPRODUÇÃO
IMAGEM: REPRODUÇÃO

O presidente Jair Messias Bolsonaro vetou integralmente o projeto de lei que previa a prioridade a mulher chefe de família no pagamento do auxílio emergencial. O veto foi publicado na edição do “Diário Oficial da União” (DOU), que saiu na madrugada desta quarta-feira (29).

O projeto também estendia a pais solteiros a possibilidade de receberem duas cotas do auxílio em três prestações. Para justificar o veto, o presidente argumentou que o projeto não apresenta impacto orçamentário e financeiro, o que, segundo ele, viola a Constituição.

“Ademais, o projeto se torna inviável ante a inexistência nas ferramentas e instrumentos de processamento de dados, que geram a folha de pagamento do auxílio emergencial, de dados relacionados a quem possui efetivamente a guarda da criança”.


O projeto também estendia a pais solteiros a possibilidade de receberem duas cotas do auxílio em três prestações. A lei do auxílio emergencial prevê que o benefício de R$ 600 deve ser pago em dobro isto é, R$ 1,2 mil a mães que criam sozinhas os filhos.

No entanto, mulheres relataram que o CPF de seus filhos têm sido utilizado por outras pessoas, muitas vezes o pai das crianças, para acesso ao benefício. Ainda segundo o texto, os pagamentos feitos indevidamente ou em duplicidade devido a informações falsas deverão ser devolvidos pelo fraudador.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.