Esplanada e região Política

Procuradora de Olindina assume prefeitura após 15 dias sem gestor

Afastamento do prefeito, que está internado com coronavírus, foi publicado em 4 de setembro

21/09/2020 10h38 Atualizada há 1 mês
417
Por: Redação Enews Fonte: Correio24horas
IMAGEM: REPRODUÇÃO
IMAGEM: REPRODUÇÃO

A procuradora do município de Olindina, Bianca Bittencourt, assumiu como prefeita interina no último sábado (19). A cidade estava, oficialmente, sem prefeito há 15 dias, quando o afastamento de Vanderlei Caldas foi publicado no Diário Oficial. Ele está internado com coronavírus.

Bianca foi nomeada em sessão extraordinária na Câmara de Vereadores. A posse ocorreu após o vice-prefeito do município, Carlos Ubaldino Filho; o presidente da casa, o vereador Albérico Ferreira dos Reis; e o vice-presidente, o vereador José Dantas, apresentarem uma declaração de impedimento por serem pré-candidatos à casa nesta eleição. Pela lei eleitoral, aqueles que ocuparam cargos na administração ou representação pública seis meses antes do pleito não podem ser candidatos.

A posse só foi possível com uma alteração da Lei Orgânica do Município, que, antes da mudança, determinava que a linha sucessória da prefeitura só chegava até o vice-presidente da Câmara. Por unanimidade, os vereadores aprovaram as modificações da legislação na última sexta-feira (18).

A gestora deve continuar como interina até o retorno do prefeito, que não está mais internado na UTI, mas ainda está hospitalizado no Hospital São Rafael, em Salvador, onde se recupera do coronavírus. 

“Enquanto o prefeito estiver afastado, estou assumindo de forma interina para poder atender as demandas mais urgentes da cidade. Procuramos dar celeridade ao processo para que a cidade pudesse voltar a ter as demandas atendidas”, disse a prefeita interina. 

O impasse começou quando o vice-prefeito do município, Carlos Ubaldino Filho, não assumiu a prefeitura. Segundo o presidente da Câmara, foram 15 dias entre o afastamento do prefeito e o envio da declaração de impedimento por parte de quem seria o sucessor do cargo. 

“O vice tinha entrado com um comunicado que iria se afastar. Apenas na sexta, ele apresentou um documento declarando a impossibilidade de assumir por ser pré-candidato para vereador, o que é plausível. Os documentos apresentados antes, no meu entendimento, não podem ser levados em conta”, explica o presidente da casa. 

Primeiramente, o vice-prefeito pediu uma licença para não ocupar o cargo por motivos pessoais, o que foi negado pelos vereadores. Depois, Carlos Ubaldino apresentou um atestado médico. Só na última sexta (18), ele entregou o documento de impedimento afirmando concorrer ao cargo de vereador.

Apesar do afastamento ter saído em 4 de setembro, o prefeito da cidade foi transferido no dia 21 de agosto para se tratar em Salvador, onde ficou entubado por oito dias na UTI do Hospital São Rafael.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.